ESTATÍSTICA E DIREITO PARTE II

 

 Dando continuidade, postaremos a seguir, a segunda parte do excelente artigo produzido pela Ana Benvenuti, a nossa Business Intelligence & Analytics.

 

Os operadores do direito possuem dados riquíssimos, mas geralmente, esses dados são subutilizados. A atuação do advogado nos traz muitas variáveis contendo diferentes comportamentos e interpretações. Muitas empresas precisam dessa análise estatística para o campo jurídico para o contingenciamento orçamentário deste departamento com processos cíveis, trabalhistas e etc. A jurimetria, entre muitas outras coisas, torna tal análise mais fácil e precisa.
Referente às ferramentas estatísticas utilizadas, como os cálculos normalmente são feitos por pessoas da área jurídica, nem sempre os resultados são realmente preditivos ou descritivos, o que acaba desvinculando cada vez mais o direito da matemática e causando prejuízo às empresas que necessitam do resultado para o contingenciamento.
A média é usada exaustivamente como a descrição de um conjunto, e muitas vezes é vista como o valor mais comum ou mais provável deste grupo. Porém a média seria apenas um valor de equilíbrio, uma medida de tendência central, podendo nunca nem aparecer no conjunto, ou sendo um valor muito maior que a mediana ou 75% dos valores do grupo, dependendo do desvio padrão.
Suponha uma sala com dez crianças, que tem altura variando entre 1,20 a 1,30 metros, e mais dez jogadores de basquete com alturas entre 1,90 a 2,00 metros. Pela definição de média de dados agrupados, a altura média dos indivíduos na sala seria de 1,60 metros, estatura essa que sequer existe no conjunto descrito. Contudo esse resultado ainda sim pode ser útil, uma vez que pode ser usado para representar uma medida descritiva, não probabilística, do conjunto, onde 50% dos indivíduos teriam estatura menor que o valor da altura média e 50% teriam estatura maior.
Agora suponha uma sala de aula onde temos dez alunos com 17 anos e um professor com 50 anos de idade, a média das idades nesta sala de aula será de 20 anos de idade. Neste exemplo, a média não poderia ser usada nem como descrição do conjunto, pois aproximadamente 90% dos valores estão abaixo da média, nem como a probabilidade da idade que mais aparece em tal conjunto, pois não temos nenhum indivíduo com 20 anos de idade.

 

E na semana que vem, para encerrarmos o tema, teremos a ultima parte do nosso artigo “Estatística e Direito”!

Boa semana e bom feriado a todos! 

 

Leave a comment